quarta-feira, 16 de junho de 2010

P.s - Palavras precisam-se



Deixem-me chorar, olhar para o tempo a passar e achar que ele devia parar.

Deixem-me hibernar para não ter que acordar amanhã quando tudo me parece igual, banalidades rotineiras que, actualmente, fazem parte de mim mais do que queria.

Hoje, acordei e olhei ao espelho, olhei para os meus olhos cansados com vontade de não seguir em frente, olhei para a minha cara que transmitia demasiado aquilo que sentia… olhei para a minha alma vazia e magoada que levemente pedia ajuda, gritava por mim e eu não lhe respondia, não tinha força para a abraçar, para trata-la com carinho ou amor. Juro, queria fazê-lo, mas acabei virar-me para o lado ao posto para não ter que ver a minha imagem. Eu queria guardar isto para mim, queria não incomodar ninguém mas não dá, não consigo evitar não chorar com pequenas coisas. E por favor, não me digam que o tempo cura porque é mentira, apenas ameniza a revolta, a raiva e o desespero por um dia, um único dia onde possa sonhar: eu sorri com gosto!

Eu sei que todos temos épocas que são mais sufocantes e outras mais risonhas, sei que não sou a primeira nem a ultima a passar por isto, e que os dias, esses parecem meses, longos meses onde nada contribui para te acalmar. Palavras para quê? Palavras para ter que expressar isto? Palavras para momentos difíceis, onde tudo parece ainda mais complexo e improvável de resolver.

Hoje disseram-me que tinha um dom. Eu fiquei a pensar que dom? Sou mais uma simples humana num mundo selvagem de emoções, sou mais alguém que luta ou desiste por completo de algo. O que tenho em mim é mais de comum! Mas mesmo assim obrigado pelas palavras.

Vou caminhando calmamente sem grandes metas estipuladas porque não vale a pena, nada é certo só o presente e eu agora não lhe dou valor, não consigo. Tenho marcas, muitas marcas, que não consigo apagar, não se curam e queimam como as lágrimas que correm aos poucos dos meus olhos sem que cumpram aquilo que lhes peço. Por favor, silenciem a minha dor, silenciem os meus passos e a minha voz que se puder eu andaria como um fantasma. 

Agora já não consigo chorar porque me custa, falta-me o ar e a esperança… acho que enterrei sentimentos. 
Estes são os meus desabafos de um dia que está difícil de acabar. De olhos vermelhos observo as quatro paredes deste quarto na esperança que o amanhã tenha mais e mais coisas para ocupar o tempo, que não tenho… para não pensar nem um segundo nisto!

p.s - Palavras precisam-se como preciso de oxigénio para me aguentar por cá, nem que seja apenas fisicamente.

2 comentários:

Valkirian disse...

Hoje vou comentar por pontos:

Ponto 1 - Se voltas a dizer que não queres incomodar quem nunca te negou ajuda, vamos ter problemas graves. Se as pessoas te ajudam é, primeiro, por ser de sua livre vontade e segundo, porque percebem o teu valor e o teu dom!

Ponto 2 - O tempo cura tudo sim, podes não conseguir ver isso agora, porque as lágrimas te atrapalham a vista...

Ponto 3 - Se voltas a dizer que nós não te proporcionamos momentos para rir, levas nas orelhas porque é para isso que servimos, isso e não só!

Ponto 4 - As palavras estão sempre presentes e mesmo repetidas possuem significados diferentes!

Ponto 5 - Comentário feito, satisfeita? :P

Aguenta-te amiga, um beijinho

Sou viciada em viver!!! disse...

Continuo a afirmar que tens um dom, que te irá proporcionar grandes momentos de felicidade. Neste momento podes estar com sentimentos sombrios como se o amanha ja nao houvesse,como se a tua alma tivesse ido e ficasse só o corpo.
No entanto, tu és forte, tens garra e emanas paixão pelo que fazes e são estas as virtudes que te farão triunfar e que apagarão devagarinho todos esses sentimentos.
Um dia, tudo isto será chamado de experiência, mas não te esqueças, tu tens valor e pessoas que te amam e que te querem todo o bem possível =), não desistas nunca!