sexta-feira, 1 de julho de 2011

Algo platónico...


Hoje, mais que nunca preciso de uma partilha entre o eu e a folha de papel, tendo como condutor a caneta que agarro nas minhas mãos.

Estou insaciável e nada me pára a mente. O que me leva a dizer:
Preciso de cativar, de pegar nas linhas e viciar-me a elas como alguém que tem um amor proibido. Este não pode acontecer, mas existe, exprime-se entre as veias, o palpitar acelerado de vários corações… entre os olhares apavorados de quem quer algo e não o tem, de alguém que precisa de avançar mas recalcula a rota a cada milésimo de segundo. Quase como se fosse necessário encontrar o novo rumo antes mesmo de cair na tentação.
Corre-se contra o tempo para não mostrar nada, há que conter expressão e forças repletas de vontades. Como? Nem sei! Por vezes, lá se revela mais um pouco daquilo que os dois amantes tentam esconder, a todo o custo, gota por gota, folha por folha, dá-se conta de um amor pouco real. Quem sabe algo platónico. Correspondido? Possivelmente! Vive-se num quarto, um sonho, numa cama vazia e fria o modelo pouco atractivo de seguir. Silencia-se o pranto de cada uma destas personagens, numa história com muito pouco de autêntico. Fica-se pelo simples pecado mortal de olhar, contemplar cada vontade, cada espaço, cada palavra. Olhos nos olhos há um tom assertivo de tudo aquilo que cada um pensa. Será caso para se dizer, tão perto e ao mesmo tempo tão longe.
Chega o comboio, os desconhecidos olham-se, observam-se com a certeza de que faltam segundos para se desfazerem dos pequenos desejos. Fecham-se as portas, pára o tempo, segue o seu percurso, desfaz-se o sonho e vive-se com ele. Volta-se a realidade rotineira de cada dia, agora, com alguém para procurar!

5 comentários:

Meus Netos...Minha Fortuna!!! disse...

Querida amiga

Com o coração cheio de agradecimento, venho aqui deixar o meu carinho, dizer que estou excelente, a recuperação está a ser óptimafoi...o médico é que ainda não deu alta... e as análises deram "negativo"...os pólipos eram grandotes mas portaram-se bem!
Obrigada pela preocupação, passarei sempre que possa, pois tenho os netinhos (três) de férias até Setembro!
Contudo, não esqueço pois encontrei aqui uma segunda "familia" que eu adoro!
Deixo aqui todo o meu carinho, ternura e amizade, com um grande beijinho
Vóvó Cassilda

APO (Bem-Trapilho) disse...

Olá!
É muito bom poder partilhar pensamentos, introspecções. Ajuda muito!

um beijo

moreirah disse...

olá Cris, como vai? Obrigado por passar lá em meu blog. Eu tambem me encontro ocupado com a conclusão de um projeto de pesquisa e o começo de outro afinal é deles que vem minha renda mensal, LOL.
Estou bem minha querida e espero que tu estejas bem também. Estou a amar o teu blog! muitas coisas parecidas com as que eu sinto!! Sempre que posso passo por lá! nunca mais também tive tempo ou inspiração para escrever. Essa coisa de universidade deixa a gente frio, burro, nem sei explicar.
um grande beijo para tu e que continu a postar teus sentimentos que tocam a todos que leem seu blog! sucesso menina! até a proxima!

moreirah disse...

Opa! perdão Lili! troquei seu nome por Cris. perdoa a mim! não foi por mal. é a confusão que está em minha cabeça. amanha tenho outra prova na universidade, estou a mil por hora! rsrs. perdoa

moreirah disse...

ô minha linda! obrigado por perguntar^^

Foi boa! o professor ajudou a nós numas inerpretações. Estamos estudando a origem das cidades na Europa e Mediterrâneo. Muito bom ver como a sociedade humana se desenvolveu e inventou as megas cidades que podemos ver hoje em dia. E fico a pensar que nesse monte de concreto a gente se esconde e tenta viver da melhor maneira possivel mas nem sempre conseguimos...
Tantos detalhes para administrar enquanto sentimentos vão a ficar para trás e outros tentar entrar em nossa vida. ora deixamos, ora os expulsamos sem querer... enfim.. e com tu Lili? Como está?
Tem facebook? MSN? Conheci semana passada uma garota estudante de Agronomia que morou ai em Portugal, tem mãe espanhola e vive na Suécia. Manuela, muito legal ela. Lembrei de tu quanto ela disse que morou em Lisboa.

Super beijo Lili. até a próxima