quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

O barco da mensagem



Pelo barco vão as minhas mensagens, vão os sonhos e vai o tudo e o nada!
Vai num mar de vida, num mar com ondas revoltas.

Não sei para onde vai, nem com quem vai, segue sem destino, segue porque assim tem de ser.
Dentro leva o tempo e um sorriso, leva a voz e o canto de alguém que não eu, o encanto de um momento, de uma nota, de uma guitarra. Não vai sozinha nem acompanhada, já faz parte, já nem se pensa sobre isso.

Do céu vêem-se as estrelas, as nuvens e a lua… vem as gotas de água que batem na face de alguém, um rosto familiar de algum desconhecido, das minhas palavras.

O capitão deste barco tem um nome próprio, conhecido pelas direcções insertas, pelas acções que não controlamos, pelo que a vida nos torna.

Escrevi ao amor, escrevi aos deuses, às lágrimas, aos sonhos e até à loucura.

Escrevi porque assim tinha que ser, escrevi por gosto, escrevi porque sim!

Parei de redigir, pois já tinha tudo o queria, o que sentia e o que gostaria de sentir.

Selei a carta, mas antes de a enviar, rio a baixo, entreguei-lhe um abraço forte e apertado, ela precisava disso. Não, eu não joguei nada fora, não destrui, não alterei, apenas enviei. Não a abracei por acaso, fi-lo para que se lembrem de que não me esqueci delas, que não as ignorei, sei bem que ali estão, mas precisava de coloca-las de lado por uns momentos.

Vai barquinho, leva em ti estas palavras, esta carta e não te esqueças de tratar bem delas… se naufragares espero por ti numa praia da minha memória, sem tempo marcado nem limite. Espero pelas tuas mãos, pelos teus braços, espero por senti-los próximos de mim para que possamos seguir pela ilha sem destino; Isto significará que já fiz as pazes contigo, que me perdoas-te por te ter lado a lado e fingido que não te tinha.

Deixa-me sentir o momento de olhos fechados ao som de uma música com significado para mim, para nós. Sente agora as mãos no rosto, um abraço apertado, um beijo, um longo beijo que te toca nos lábios suavemente mas já com alguma autenticidade, com sentimento… abraçando-te como se fosse um único corpo, numa só alma!

Que a tempestade se amenize… que este barco tem de chegar ao seu destino.

p.s- espero pelo teu abraço, de olhos fechados para te sentir… apenas sentir!

Um comentário:

Meus Netos...Minha Fortuna!!! disse...

MINHA QUERIDA AMIGA

A FALTA DE TEMPO É MUITA! CONTUDO NÃO QUERIA DEIXAR PASSAR ESTA DATA TÃO SIGNIFICATIVA SEM DEIXAR O MEU CARINHO A MINHA AMIZADE E DESEJAR UM SANTO E FELIZ NATAL COM MUITA PAZ AMOR, SAÚDE E ALEGRIA NO SAPATINHO!

UM BEIJINHO DO TAMANHO DO MUNDO

VÓVÓ E AMIGA
CASSILDA