sábado, 24 de maio de 2008

o passado/ o presente diferente

juro que tentei arranjar inspiração para escrever, mas não conseguir
sinto-me um pouco fraca e perdida por isso contudo, sigo em frente.

deixo então algo que já escrevi a uns tempo atrás sei que não é simpático o poema, mas acho que não tenho que esconder o passado e sim aceita-lo para não cometer novamente os erros.

Sinto-me só mesmos estando rodeada de pessoas.

Sinto que pouca coisa faz sentido. procuro a cada passo alguém que me conheça, que me dê protecção, segurança, carinho, etc.…

Aquilo que não tive e não tenho em casa... sinto que não me conhecem, não sabem o que sinto, nem como me sinto. E porque?

Sei que não e fácil, alias nada é fácil, como a correria do dia-a-dia..

Olho para aqueles que passam a minha frente, olho para as suas expressões e não vejo nada, talvez sorrisos verdadeiros ou falsos, nem eu sei…

Olho para mim e vejo alguém que não se importa minimamente com eles, mas que se sente sem o seu canto, sem objectivos e possivelmente sem sonhos…

Não olho para o passado para não ter que arranjar coragem para o reviver, mas olho para o presente e não imagino o futuro….

Dilemas e mais dilemas…

Quem me dera que as palavras tivessem impacto, o impacto de como eu me sinto agora…



Hoje não é bom dia
Hoje é dia de recordações
De memorias perdidas
De lágrimas quebradas
Por mente qualificadas
Amores perdidos
Por sonhos traídos

Por mim mesma
Sem rumo a vaguear por um castelo fantasma

Ao som dos gritos de horror
Da morte que peço para que se vá embora
Que me deixe ver de novo o lado puro da vida

Agosto de 2006

Escrevi este poema há um mês mas não havia melhores palavras para descrever um pouco de mim…



prometo que o próximo será muito melhor desculpem

Porém, para não ficarem desiludidos comigo deixo-vos um poema que não é meu. espero que gostem

E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos.

E por vezes
encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos.
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos.

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se envolam tantos anos.

David Mourão Ferreira

bjs

bom fim de semana

15 comentários:

Bette disse...

oi querida!
ate n está mau!!!
bom fim de semana linda!
jokinhas

ps:olha visita ete forum... está no principio..http://artes-divertidas.forumeiros.com/index.htm

Texto-Al disse...

engraçado...encalhei aqui sem querer...és da cidade onde nasci:)

vê se apareves um dia no texto-al:)

bj

Tiago

Daniela Veiga disse...

Olá Liliana!
Estou mesmo a terminar o quadro das banheiras..
Boa semaninha
Bjinhos

sweetie Mafalda disse...

Olá minha querida!!!

Então que dor de alma é essa que te anda a inquietar??!!!
Não gosto de te ver tão triste, se bem que eu sei o que é isso, e até revejo sentimentos parecidos com os meus nestas tuas palavras ...
Mas vamos lá a animar, que a vida é curta para ser vivida na tristeza. O que aprendi com a vida é que nada é assegurado e tudo muda da noite para o dia, por isso tento viver sempre o mais feliz possivel e fazer tudo o que posso, para não deixar nada por fazer e ses a vaguear na mente.
Agora toca a sorrir :):):):) e a viver bem.
Beijocas desta tua amiga!!
Boa semana
Mafalda

Paula disse...

Desculpa só responder agora mas estive numas mini-mini férias
Minha doce amiga, ke tristeza é essa? És tão doce, tão novinha, tão amiga, e vejo ke estás tão triste.
Nestas alturas é ke eu gostaria de te escrever algo de belo para te poder animar. Não te kero ver assim tão cinzenta.
Beijokinhas :)

Mena disse...

Olá, Lili!
Esse astral anda um pouco em baixo, não?
Sorri à vida e ela sorrir-te-á, este é o meu lema. Tristezas não pagam dívidas, diz o provérbio, portanto põe um sorriso nos lábios e vive... Tão novinha e tão triste? A vida é feita de escolhas, escolhe a alegria, a vontade de viver, sorrisos, palavras doces, carinhos, abraços... Olha à tua volta, até com tempo de chuva, o céu é lindo, com mil nuvens que se vão transformando, as gotas brilhando nas folhas... Chapinha... Numa palavra VIVE.
Deixei-te uns miminhos no meu blogue.
Bj
Mena

SANDRA RIBEIRO disse...

ola miga este poema esta lindo e nem sempre estamos de bom humor e nesse dia que escreveste o poema estavas de certeza um pouco mais triste mas é assim mesmo votaste para fora aquilo que sentias e ficou lindo beijos e continua
á poeta...

Moquinhas disse...

Olá pois é passaste pelo meu blog e eu vim retribuir...e se queres saber ao ler o teu poema consegui sentir a dor...que sentiste...não sei se ainda te sentes assim...mas eu muitas vezes senti e sinto o mesmo... tento não olhar para trás porque o que está atrás doi tanto...mas olho para a frente e sinto que vem lá coisas que vão doer ainda mais!!
Mas a vida é mesmo assim e quem somos nós para nos queixarmos acredita...há muito pior!!
Beijoquinhas grandes e obrigada pela tua visita!!

Flor disse...

amiguinha! este poema é bonito mas é muito muito triste. quando eu tinha sensivelmente a tua idade tb escrevia coisas assim deixo-te um bocadinho de um poema meu:
sinto um dsespero
tão grande tão grande
que me afoga e me sufoca
ja esgotei as minhas forças
ja esgotei amnh vida
(......)
subo umas escadas em caracol
sem principio nem fim
sinto que vou cair
estou aterrorizada
olho para baixo so vejo escuridão
para cima nada vejo
estou assustada
(...)
sinto avida andar para traz
o passado esta presente
o presente ja é passado
ja n percebo o que sinto
ja não sei o que sou
problemas e mais problemas
ja não sei o que fazer
ja não sei o que sonhar
não faz mal ng me entende
o que importa o que digo e o que sinto
se ng o vai perceber
o que vai na mnh pobre alma
um dia o meu corpo vai morrer
porque a alma ja morreu
(2001)
todos os meus poemas eram neste genero ou piores em termos de sofrimento solidaõ e otrs coisas mais
percebo o que sentes mas não deixes que isso te consuma........
bjinhos amiga e anima-te és muito nova tens uma vida inetira para viver

Manuela Alexandra disse...

Mas que palavras lindas....
Por acaso não te conheço mas também sou de Tavira... eheheheheh...
Jinhos***

EDUARDO disse...

estás no bom caminho. o poeta tem essa capacidade de escrever triste quando está alegre. nao importa se o poema parece triste ou amargo o que interessa é que ele revele a essencia poética de quem escreve querida amiga. estás la!!!

beijão


paradoxos

claudia disse...

Mas como é que alguém que escreve tão bem, pode não ter inspiração? Como é que te podes sentir perdida, numa época de GPS's (brincadeira..). Beijinhos

Tralhas com Arte disse...

Olá,
Fiquei emocionada com todos estes textos. Passei sem querer e sem conhecer fiquei apaixonada. Por isso vou voltar...
Bjs e muita inspiração.
Sandra

Meus Netos Minha Fortuna disse...

Olá querida!
Lindos os poemas , quer os teus quer os outros...mas não gosto de te ver triste!

Tens idade para ser uma menina feliz...pois certamente terás uma vida radiosa pela frente!

Desejo-te desde já um excelente fim de semana!
Um grande beijinho
Vóvó Cassilda

Paula disse...

Amigona krida andas tão caladinha? Está tudo bem? Espero ke esse recolhimento seja por uma boa causa. Uma beijokinha grande e bom fim de semana :)